Na Europa por 3 meses e sem dinheiro

Vc tb já está com aquela vontade loooouca de conhecer algum outro canto do mundo, mas não tem muita grana? Pensando nisso há dias e também como sugestão de uma amiga, achei legal contar sobre a viagem de Aline Campbell, artista plástica de 24 anos que passou 3 meses desse ano viajando pela Europa, entre Holanda, Bélgica, Alemanha, França, Inglaterra, Croácia, Sérvia, Eslováquia, Hungria, República Tcheca, Áustria, Itália e Suíça. Detalhe, sem nada de dinheiro, nada de cheques ou cartões de créditos, nem mesmo para as emergências, exceto pelas passagens de ida e volta do Brasil. E também sem aceitar dinheiro dos outros durante a viagem.
Três meses pela Europa. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Três meses pela Europa. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Foram 92 dias, uma pequena mochila com sete peças de roupa. Durante esse tempo ela pegou 54 caronas, rodou 10300km e dormiu em 38 casas diferentes. Nunca tinha ido a Europa e não tinha conhecidos na maioria dos lugares.

Cidades visitadas pela Aline. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Cidades visitadas pela Aline. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Parece doidera né? Mas apesar disso, a ideia da Aline era extrair a bondade que as pessoas têm, mostrar ao mundo que seres humanos são generosos por natureza e demonstrar que certas situações não são tão perigosas quanto pensamos, parte de um projeto que ela chamou de Open Doors/ Portas Abertas. A experiência foi inspirada na viagem de um americano que Aline recebeu na sua casa pelo Couch Surfing. Ele viajava sem malas, só com a roupa do corpo e uma pochete com dinheiro e documento, pois não queria ter distrações além de suas relações interpessoais. Lembrando que o objetivo da Aline não foi provar que dá pra viver sem dinheiro, já que ela, de certa forma, “usava” o dinheiro dos outros.
Carona e acomodação em Paris. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Carona e acomodação em Paris. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Aline não tinha um roteiro definido, nem pretendia conhecer os principais pontos turísticos, o objetivo era se conectar com as pessoas e conhecer a cultura.
Mas onde ela dormiu, como ela comeu, e como entrou na Europa sem dinheiro???
Ela usou muito Couchsurfing e confiou na sua intuição para pegar as caronas e ficar na casa das pessoas. Comia na casa de quem a hospedava, as condições de sua viagem já eram explicadas logo no começo.
Para passar pela imigração no aeroporto de Frankfurt, o primeiro, ao chegar na Europa, por sorte ninguém pediu dinheiro, seguro viagem e comprovação de estadia, mas ela confessa que tinha medo sim de ser barrada e retornar pra casa sem nem mesmo começar a viagem. Nos outros países, cruzou a fronteira de carro então foi bem tranqüilo!
Foundue com família em Moosleerau. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Foundue com família em Moosleerau. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Em algumas entrevistas que deu para outros sites Aline conta que obviamente passou alguns perrengues, principalmente quando viajou por duas semanas com uma amiga (conseguir carona para duas era bem mais complicado). Em uma dessas, o caronista as deixou em um pedágio no meio de uma estrada na França, onde raramente passava carro e a única opção foi dormir em uma cabine no banheiro, com um frio de uns 10⁰C.
Porém sua intuição funcionou e ela teve momentos muito especiais! No começo da viagem, indo de Hasselt para Berlim, Aline pegou carona com um homem de 40 anos que a convidou para ir a um lugar bonito e isolado que ele gostava de ir, e ela topou. Era uma estrada super deserta, cercada por árvores. Ele parou o carro no acostamento e falou para ela segui-lo por uma trilha completamente deserta, e ela foi. Depois de 5 minutos andando ela foi surpreendida pela vista de um lago de tirar o fôlego, uma das paisagens mais bonitas q ela diz já ter visto!
Aline nos Alpes Suiços. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Aline nos Alpes Suiços. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Além disso, ela foi surpreendida positivamente várias vezes pelo caminho, como, por exemplo, no dia em que pegou uma carona pra ir de Budapeste a Viena, foi convencida pelo motorista a ir até a Eslováquia e ainda ganhou um ingresso pra o Cirque du Soleil! Em outra ocasião, saiu de Londres pra ir a Orleans, na França, e acabou embarcando numa viagem de três dias de carro até a Sérvia =)
Um dos caminhoneiros que deram carona. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Um dos caminhoneiros que deram carona. Foto: Arquivo pessoal de Aline Campbell

Sua próxima viagem no mesmo estilo será, provavelmente, pelo Brasil, seguindo do Rio para o Nordete. Isso talvez possa render até um filme! Acho que não precisamos ser radicais, mas, a partir disso, inspiração é o que não falta para, mesmo sem mto dinheiro, começar a pensar em uma próxima viagem com um foco diferente e no estilo low cost, né? E para aqueles que estiverem afim de ter uma experiência semelhante, aproveitar uma viagem para se conectar mais com as pessoas, vale tentar confiar um pouco mais na tal intuição, pois as vezes sentimos a bondade e a maldade das pessoas. Afinal, gentileza gera gentileza e energias positivas se potencializam, faça o bem e acredite que retornará o bem! Concordam?
Muitos MOMENTOS pra vcs nesse fim de semana!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s